a
HomeGravidezAmamentaçãoAfinal, o que faz uma doula?
shutterstock_200278673
shutterstock_200278673
s

Afinal, o que faz uma doula?

Você conhece o trabalho de uma doula?

Marianne Pousada é mãe e ativista da humanização do parto e nascimento e explica às leitoras do Blog Grão de Gente o papel de uma doula na gestação de uma mulher, antes, durante e pós-parto.

Boa leitura!

Afinal, o que faz uma doula?

Doula, que etimologicamente significa mulher que serve, é aquela mulher que acompanha a gravida e a família durante a gestação, o parto e o pós-parto, sem, contudo, oferecer à gestante qualquer serviço técnico ligado ao gestar e ao parir. Você pode estar se perguntando: como assim? Doula não oferece serviço técnico? Não lida com gestação e parto? O que faz uma doula, então?

Primeiro, é necessário esclarecer que a doula não é profissional médico, de enfermagem obstétrica ou obstetriz, os três profissionais técnicos habilitados e autorizados por lei a assistir um parto. O trabalho da doula, primordialmente, é ao lado da mulher. O foco da doula é a mulher. O seu bem-estar, a construção da confiança da mulher no processo fisiológico do gestar e do parir, para o qual todas as fêmeas – inclusive as humanas – foram programadas para realizar, o suporte emocional e físico durante o trabalho de parto e até o apoio a essa mulher nos primeiros dias depois de parida devem ser os objetivos do trabalho da doula.

shutterstock_200278673

Isto posto, cabe-nos esclarecer quais as competências da doula durante a execução do seu trabalho. E isso porque, após o relato de parto de várias mulheres nos grupos de parto dos quais participo e no grupo do qual sou uma das moderadoras, das confidências de outras mulheres que nunca relataram seus partos e da minha própria experiência de parto, tenho lido e ouvido relatos de condutas nada éticas ou de acordo com as funções que devem ser executadas por uma doula.

Como já dito, doula não assiste parto. No jargão popular, doula não “faz” parto. Mas há outras condutas realizadas pelos profissionais técnicos que também não podem ser realizadas pelas doulas: não pode auscultar o bebê (realizando a checagem dos batimentos cardíaco-fetais), porque não importa o número de batimentos que vai aparecer no aparelho, o profissional deve saber interpretar o resultado, e sendo a doula um profissional não-técnico, carece do conhecimento para essa interpretação. Também não pode verificar dilatação, fazendo exame de toque na gestante, pelo mesmos motivos acima. Não é correta a postura de algumas doulas que, trabalhando em conjunto com os profissionais técnicos, ficam com essa responsabilidade para si e acabam exorbitando de suas funções, colocando o binômio materno-fetal em risco. Não há nada de absurdo ou errado na afinidade entre a equipe técnica e a doula, na similitude de ideias e posturas, mas esse não é o objetivo do trabalho desta.

A função da doula é amparar a mulher em seu momento mais frágil e mais forte: o processo do nascimento. Deve oferecer alívio não-farmacológico para a dor das contrações, sugerir posições, oferecer massagens e técnicas que só essas profissionais conhecem para o amparo da mulher que está a parir. Contudo, muito me chocam relatos de mães que nos contam que sua doula não lhes ofereceu uma massagem, não lhes sugeriru uma mudança de posição, ou sequer preocupou-se com uma boa visita de pós-parto, para dar as orientações e apoio que a puérpera tanto precisa. Chegam até nós relatos de mães cujas doulas nada fizeram, preocupando-se apenas em fazer a “social” no ambiente hospitalar, apresentando-se para médicos novos no cenário da humanização e chegando ao cúmulo de destratar a gestante que a contratou, quando esta solicitou-lhe auxílio (auxilio este que a doula foi contratada para dar). Muitas outras mulheres, após ouvir relatos desse tipo, desistem de contratar uma doula, já que consideram desnecessário e pouco eficaz o trabalho que elas realizam.

normalInfelizmente, servir não é para todas. Doular também não. A função da doula, como a maioria das profissões, exige vocação. Por isso, além de pesquisar sobre a equipe técnica ou o hospital onde deseja parir, a mulher precisa informar-se sobre a doula que pretende contratar. É fundamental que se ouça a experiência de mulheres atendidas por essa doula. Pode fazer toda a diferença para você e para a sua experiência de parto. Assim como ouço relatos ruins, ouço também uma infinidade de relatos maravilhosos de como a presença da doula e seu auxílio foram fundamentais para o desfecho de um nascimento respeitoso.

Marianne Pousada – mãe e ativista da humanização do parto e nascimento.

Compartilhe:
Classifique este artigo

Blog Grão de Gente é um bate papo diário sobre o mundo da maternidade! O Blog da maior loja virtual de enxoval e decoração para quarto de bebê do Brasil.

redacao@bloggraodegente.com.br

Sem comentários

Deixe um comentário