a
HomeBebêAlimentaçãoDossiê papinha: Tudo o que você precisa saber
Geralmente, a introdução começa pela papinha de frutas
Geralmente, a introdução começa pela papinha de frutas
s

Dossiê papinha: Tudo o que você precisa saber

Seu bebê cresceu e chegou a hora de inserir a papinha na alimentação do pequeno. As dúvidas são muitas, e vão desde o quê oferecer ao bebê até qual a forma correta de preparo e conservação. Não entre em pânico!! Para facilitar a vida da mamãe nessa nova e importante fase do bebê, preparamos um guia que vai tornar a instrodução alimentar do seu grãozinho muito mais simples e fácil. Afinal, a mamãe precisa m,esmo é estar tranquila para aproveitar esse momento tão especial, cheio de descobertas na vida do pequeno. Confira:

 

Primeiros passos: a papinha de frutas

 

Geralmente, a introdução começa pela papinha de frutas

Geralmente, a introdução começa pela papinha de frutas

 

A introdução alimentar deve sempre ser feita com acompanhamento de um pediatra. É ele quem vai determinar quando, como e quais alimentos oferecer ao bebê durante a introdução alimentar. Afinal, cada caso é um caso, seu bebê pode ter necessidades diferentes das outras crianças e o médico que o acompanha desde o nascimento será a melhor pessoa para determinar como iniciar essa fase. Geralmente, a introdução alimenbtar começa com frutas, que são servidas em forma de papa e sem substituir o aleitamento. Mamão, pêra, maçã ou laranja lima em forma de suco são as opções mais comuns e seguras. Os alimentos devem ser inseridos sempre gradualmente, observando as reações do bebê, para evitar alergias.

 

Papinha salgada deve ser nutritiva e equilibrada

 

Já para a alimentação salgada, nas primeiras semanas o ideal é combinar apenas um tipo de folha com algum legume. Por exemplo: cenoura com alface, mandioquinha com espinafre, beterraba com agrião, chuchu com couve e abóbora com repolho. Procures escolher no início legumes mais adocicados, que têm maior chance de serem aceitos pelo bebê.

 

Papinha: Dê preferência a alimentos frescos

Papinha: Dê preferência a alimentos frescos

 

A papinha deve ser amassada e peneirada para adquirir a consistência ideal. Nunca coloque os alimentos no liquidificador ou processador, já que isso destrói as fibras dos alimentos. A carne deve ser picada em pedacinhos muito pequenos,m cozida e amassada ou desfiada. Geralmente, os pediatras indicam que se ofereça a papinha em apenas uma das refeições do dia, dando preferência para o almoço. Depois, à medida que o bebê vai se acostumando ao ato de comer, introduz-se também o jantar. Conforme a criança vai crescendo, é importante ir aumentando a consistência da papinha, para que, com um ano de idade e tendo já alguns dentes, a criança consiga mastigar.

No primeiro ano, é prudente evitar alguns alimentos como o mel, por risco de botulismo, o ovo, que é é um alimento potencialmente alergênico. Este último só pode ser oferecido depois que a criança tiver seis meses de idade, e apenas um quarto da gema, sem nenhuma clara. Aos poucos, a quantidade de gema irá aumentando, até que, por volta de oito ou nove meses, acontecerá também a introdução da clara. Ao introduzir alimentos ácidos, como tomate, fique atenta para ver se eles não estão causando assaduras.

Como temperar?

Não se esqueça que seu bebê está se habituando ao sabor dos alimentos. Portanto, nada de sal, ou pouquíssimo, até ele completar um ano de vida. Para temperar a papinha, você pode refogar um pouco de cebola picada em algumas gotas de óleo ou azeite. As papinhas também podem ser temperadas co m ervas naturais ou secas. As mais indicadas são a salsinha, cebolinha, sálvia, tomilho e outras com sabor suave.

Tenha sempre à mão ingredientes frescos. Embora mais caros, os vegetais orgânicos são boas opções, pois levam menos agrotóxicos. Caso não seja possível adquiri-los, lave muito bem as frutas, legumes e hortaliças antes de preparar a papinha de bebê. Mesmo se for descascar, use uma escovinha para ajudar a limpar estes alimentos em água corrente. Você também pode higienizar os alimentos deixando-os de molho na água e um pouco de hipoclorito de sódio, que é facilmente encontrado nos supermercados e farmácias. Lembre-se de ler as instruções da embalagem antes de usar o produto.

 

Como conservar a papinha?

 

Em primeiro lugar, saiba que nenhum alimento que o bebê já tenha começado a comer, ou seja, que tenha tido contato com a sua saliva, pode ser reaproveitado. Se ele não quiser comer tudo, descarte e ofereça um novo alimento na próxima refeição. Use sempre água filtrada no preparo, e evite misturar alimentos crus com outros cozidos para não haver contaminação.

 

papinha

Em recipiente adequado, a papinha pode ser congelada por até 30 dias

 

Você pode fazer uma boa quantidade e congelar de forma segra: disponha de alguns potinhos apropriados para freezer, certificando-se de que eles não possuem bisfenol, que pode causar males à saúde. Potinhos de inox, vidro ou silicone são boas opções. As papinhas de polpa de frutas também podem ser congeladas em forminhas de gelo.

Geralmente, as papinhas duram dois dias na geladeira e até 30 dias no congelador. Evite congelar papinhas de bebê que contenham folhas de verduras e vegetais crus, como também ovo, maisena, banana e iogurte.

 

Leia mais:

– Alimentos que vão turbinar a saúde do seu filho

– BLW dá autonomia ao bebê na introdução alimentar

– Dicas para começar a introdução alimentar sem neura

Compartilhe:
Classifique este artigo

Blog Grão de Gente é um bate papo diário sobre o mundo da maternidade! O Blog da maior loja virtual de enxoval e decoração para quarto de bebê do Brasil.

redacao@bloggraodegente.com.br

Sem comentários

Deixe um comentário