a
HomeBebêVocê conhece o colar de âmbar?
Bebê usando colar de âmbar
Bebê usando colar de âmbar
s

Você conhece o colar de âmbar?

Você já ouviu falar em colar de âmbar? Se não, ao menos já deve ter visto algum bebê com um colar de bolinhas amarelas no pescoço. Pois é! E ele não serve só para enfeitar. O acessório tem efeito analgésico e anti-inflamatório, e tem como objetivo aliviar as dores do pequeno quando os dentinhos começam a aparecer. Estes benefícios não são comprovados cientificamente, mas as mamães que já usaram garantem que o colar funciona mesmo.

O acessório virou moda entre os bebês e objeto de desejo das mamães moderninhas após a modelo Gisele Bündchen divulgar uma foto de sua filha usando o colar. Mas, será que tudo isto é só mais uma modinha ou realmente faz diferença? Afinal, o que é este tal de âmbar?

Colar de âmbar: Gisele Bündchen e Vivian

A moda do colar de âmbar pegou após a modelo Gisele Bündchen postar foto da sua bebê, Vivian, usando o acessório

 

Uma resina natural que virou fóssil (há aproximadamente 50 milhões de anos). Este é o âmbar, que é encontrado na região dos Bálticos. Aliás, se sua origem não for esta, não é verdadeiro. Este material contém ácido succínico. De acordo com estudos, o composto químico fortalece o sistema imunológico, estimula o sistema nervoso e melhora a atividade metabólica. Segundo os vendedores e as mães defensoras do produto, as pedras do colar, em contado com a pele do bebê, são aquecidas e liberam pequenas quantidades do ácido succínico no corpo.

Como saber se o colar de âmbar é verdadeiro?

Quem está pensando em comprar, precisa prestar atenção em alguns detalhes para não levar um produto falsificado. Há no mercado muitos colares que não vêm da região dos Bálticos e são fabricados com copal ou plástico. Confira as dicas para não errar na hora de comprar o seu colar ou pulseira de âmbar:

Infográfico - Teste Colar de Âmbar

Colar de âmbar é seguro?

O uso do colar de âmbar em bebês não é recomendado pela Associação Brasileira de Odontopediatria. O problema é o risco de asfixia. Para atender a demanda obedecendo à recomendação do órgão e passar mais segurança para as mães que querem experimentar o acessório, o mercado passou a oferecer a pulseira de âmbar, podendo ser usada no pulso ou como tornozeleira. Mesmo assim, ainda há o risco de a criança levar o objeto à boca.

Se mesmo assim você quiser comprar um colar de âmbar, então confira algumas dicas essenciais para garantir a segurança do seu bebê:

  1. Jamais deixe o bebê sozinho com o colar;
  2. Não deixe o bebê dormir com o colar de âmbar no pescoço;
  3. O fio deve ter um nó entre cada pedrinha para evitar que o âmbar se espalhe caso o colar quebre.
  4. O colar deve ter entre 33 e 36 centímetros para ficar na medida certa.
  5. Dê preferência a colares com fecho de rosquear e coberto de âmbar. Assim, o bebê terá dificuldade de abrir.
  6. Também é recomendável retirar o colar na hora do banho. A água pode desgastar o âmbar e reduzir o efeito natural do acessório.
  7. Se o bebê usar desde muito novo, as chances de ele nem perceber o colar no pescoço são maiores.
  8. Quer usar durante o sono do bebê? Então dê duas voltas do colar no tornozelo.

 

Acompanhe todas as novidades do blog pelas redes sociais!!!
Vai lá: facebook, instagrampinterest

 

Leia mais:

Pela estrada afora… Chegou a coleção Chapeuzinho Vermelho!

Vérnix: o que é e para que serve?

Compartilhe:
Classifique este artigo

Blog Grão de Gente é um bate papo diário sobre o mundo da maternidade! O Blog da maior loja virtual de enxoval e decoração para quarto de bebê do Brasil.

redacao@bloggraodegente.com.br

Comentário
  • Conheci bebés que usaram o colar de ambar para evitar dor na com a chegada dos primeiros dentinhos e nenhum deles teve dor, febre ou outro sintoma. Alem disso dormiam muito bem. Foi incrivel. Porem quando fiquei gravida pensei em deixar pra. La porque pode ser pura frescura ou so impressao minha, dai entao conheci um bebe cujos dentinhos começavam a aparecer e ele chorava, dava ate uns gritinhos e esfregava qualquer coisa que encontrasse na gengiva e aquilo me desesperou. A mae nem parecia se importar porque pra ela o sofrimento do filho era “normal”. Entao decidi que minha pequena vai ter o dela, que ela precisa. E que vale sim muiyo a pena para ve-la ter seus primeiros denrinhos livre de dor e desconforto.

    14 de outubro de 2017

Deixe um comentário