a
HomeBebêAlimentaçãoOs 5 erros mais comuns na introdução alimentar
introdução alimentar
introdução alimentar
s

Os 5 erros mais comuns na introdução alimentar

Quem nunca ouviu a clássica frase “pode dar um pouquinho, não vai fazer mal” ainda não passou por uma das etapas de maior mudança na vida dos bebês, a introdução alimentar. 

Por conta das diferentes opiniões sobre o tema, muitas pessoas cometem erros que impactam diretamente no sucesso dessa fase. Para te ajudar a entender sobre o assunto e saber o que fazer, selecionamos as melhores dicas. Confira:

introdução alimentar

Quais são os 5 principais erros da introdução alimentar?!

 

1- Iniciar a introdução alimentar antes do tempo adequado

A recomendação do Ministério da Saúde é que se inicie a introdução dos alimentos a partir dos 6 meses. Caso essa etapa seja iniciada antes, o bebê ainda não estará preparado para receber outros alimentos além do leite materno. “Ao nascer, o intestino do bebê ainda é muito imaturo e ele vai completando esse desenvolvimento ao longo dos meses. Por volta dos 6 meses, seu intestino já se encontra mais preparado para receber outros alimentos sem sofrer prejuízos”, destaca a nutricionista Izabela Cavalcante. 

Além disso, é por volta dos 6 meses que o bebê apresenta avanços em seu desenvolvimento neuromotor que irão possibilitar que ele mastigue os alimentos (mesmo que não tenha dentes, ele utiliza a gengiva), sustente a cabeça e possua certa coordenação com as mãos, avanços que diminuem, por exemplo, as chances de engasgos.

2 – Textura muito líquida

Aos 6 meses muitos bebês ainda não possuem dentes, mas a gengiva já é bastante rígida para conseguir amassar a comida. A textura certa para oferecer os primeiros alimentos é a pastosa (textura de papa ou purê).

Não é adequado liquidificar ou peneirar a comida. Esses processos deixam o alimento muito líquido e sem textura. Basta cozinhá-los no vapor (ou com pouca água) e depois amassar com um garfinho.

introdução alimentar

3 – Misturar tudo

Você já deve ter visto receitas de papinhas em que se recomenda cozinhar todos os grupos alimentares juntos e, em seguida, amassar todos juntos em uma mesma papinha. Mas cuidado, essa não é a forma correta de oferecer a alimentação para os pequenos.

Um dos aspectos mais importantes da introdução alimentar é que ela tem por objetivo ensinar o bebê a comer, não só alimentá-lo. Para isso, é importante que a criança conheça o sabor de cada alimento. Se eles estão todos misturados no prato fica muito difícil ela saber qual é o sabor da batata doce, do feijão ou da abóbora. Mas, se eles estiverem separados e forem oferecidos gradualmente, a criança, aos poucos, irá aprender o sabor de cada um deles.

4- Querer que o bebê raspe o prato

Imagina que todos os dias outra pessoa montasse o seu prato? Será que ela acertaria a quantidade de comida certa para você? Mas nós fazemos isso com o bebê e ainda queremos que ele coma tudo! Entretanto, precisamos entender que ele vai comer a quantidade suficiente para se sentir saciado.

“Bebês, principalmente os que foram amamentados, desenvolvem muito cedo a capacidade de autocontrole em relação à fome e saciedade. Ou seja, eles sabem distinguir quando estão com fome e quando estão saciados. Os pais e cuidadores devem, então, respeitar quando a criança demonstrar que não deseja comer mais, e não forçar” afirma a a nutricionista Izabela Cavalcante. 

introdução alimentar

5 – Oferecer alimentos não adequados

A introdução alimentar deve ser feita com alimentos naturais: cereais (arroz, quinoa, milho), leguminosas (feijões, grão de bico), tubérculos (batata, mandioca) vegetais, frutas e carnes (se for de interesse da família). E só!

“Mas não é pouco?” Não, dentro desses grupos alimentares temos uma grande variedade de alimentos, os quais podem ser oferecidos à criança ampliando seu conhecimento sobre os sabores e texturas e ofertando uma grande variedade de nutrientes.

“Não é necessário oferecer biscoitos industrializados, petit suisse (aqueles “iogurtes”), complementos farináceos (farinha láctea) ou outros produtos” comenta a nutricionista.

 

Leia Mais:

Saída maternidade: Entenda o significado das cores do enxoval

Decoração Clássica: conheça os detalhes da Coleção Arabesque

Vitaminas e suplementação na gravidez: tudo o que você precisa saber

Compartilhe:
Classifique este artigo

Blog Grão de Gente é um bate papo diário sobre o mundo da maternidade! O Blog da maior loja virtual de enxoval e decoração para quarto de bebê do Brasil.

redacao@bloggraodegente.com.br

Sem comentários

Deixe um comentário